PT/BR Sabrina Botella de Campos / Sabrina de Campos Thiesen / Sabrina Bittencourt / Sabrina Petit & Biel Baum / Gabriel Baum - Ativista megalomaníaca criadora de 37 ONGs, primeira mulher cyborg ecologicamente correta, mãe de super dotado que decidiu virar chef vegano mirim, amnética de 11 anos, responsável pela queda de João de Deus e se matou para virar a nova Marielle.

Sparky Lurker

kiwifarms.net
Conheça a caçadora de guias espirituais estupradores: Sabrina Bittencourt.

Performance_nua2.png

Sabrina Bittencourt era uma mulher de muitos feitos, tinha 37 ONGs, era a primeira mulher cyborg, venceu o câncer, era artista visual, ajudante de vítimas que foram abusadas no meio espiritual, teve um filho super dotado que abandonou o colégio para ser sub-celebridade, porém Sabrina encontrou seu fim após denunciar o criminoso João de Deus e tentar virar uma mártir com suicídio.



A aparição mais antiga de Sabrina na internet, se deve ao seu segundo casamento em 2007, que foi o primeiro casamento totalmente ecológico e carbon-free do mundo:

tmp1170806613729083393.gif

https://www.otempo.com.br/brasil/casamento-em-versão-ecológico-agita-paulista-1.282898 (http://archive.li/JbFCu)

Esqueça tudo o que você já viu ou ouviu sobre cerimônias de casamento. Vem aí a primeira união sustentável do Brasil. É um conto de fadas. Só que com todos os detalhes politicamente corretos.

Os noivos Sabrina e Rafael trocarão alianças de fibras de coco no Parque Trianon, na avenida Paulista. O ritual será aberto ao público. Os convidados que quiserem podem levar seus cães. Serão bem-vindos.

Paulistana, a empreendedora social Sabrina Campos quer que seu casamento e sua felicidade não tragam prejuízos ao planeta.

Pelo contrário, ela e o noivo, o engenheiro de informática Rafael Velasco Megias, espanhol, de 33 anos, vão devolver à natureza o que estão tirando para comemorar a união. Seguindo a tendência carbon free, plantarão 50 árvores após a cerimônia.

Também vão calcular os gastos " dos preparativos, da cerimônia e da festa " com água, energia, lixo e gás carbônico e reverterão o dinheiro para a SOS Mata Atlântica. São 14 os parceiros do casamento entre ONGs e empresas que atuam com responsabilidade social.

A Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente faz parte da parceria. "Não é um casamento alternativo. Pelo contrário, é tradicional. Só que está de acordo com o tempo que estamos vivendo. Os casamentos chamados tradicionais, na verdade, são medievais, passados de geração para geração. Só que precisamos ter consciência de que o momento do mundo é outro. E essa mudança é urgente", explicou a noiva, que desenvolve trabalhos sociais e sustentáveis no Brasil e no exterior.

Sem poluição
O cenário, o Parque Trianon, não foi escolhido só por ser uma área verde. Mas porque a noiva, para chegar ao altar, fará o trajeto a pé, de metrô e de bicicleta, sempre acompanhada do filho Gabriel, de 5 anos, do seu primeiro casamento.

"Escolhi esse parque porque é de fácil acesso para quem quiser ir de transporte público sem causar poluição." A localização também facilita a chegada dos deficientes. Para os cegos, convites em braile. O vestido de Sabrina será orgânico, de seda natural e material reciclado.

Os brilhos virão por conta de pedaços de embalagem de café, em vez de lantejoulas. Longa e rústica, a peça deverá ter muitos detalhes em verde, a cor preferida da noiva. A roupa está sendo feita por uma cooperativa de costureiras do Capão Redondo, na zona sul, e será doada para a entidade.

Os noivos calçarão sandálias de lona reciclável. Jovens do projeto Café Aprendiz organizarão a comida e a bebida. O menu é natural, e os convidados poderão comer sentados nos bancos do parque.

"Serviremos sucos orgânicos. Não vai ter bebida alcoólica porque teremos crianças e não quero incentivar esse tipo de comportamento." (Agência Estado)
Logo após participou de um comercial do Banco Real falando sobre o seu casamento:


















Em 2008 Sabrina já tinha 18 ONGs em seu nome e foi tema da Revista pequenas empresas e grandes negócios :

http://revistapegn.globo.com/Empresasenegocios/0,19125,ERA1667876-2991-1,00.html (http://archive.li/a9wbo)

Em curtíssimos três anos, Sabrina Campos montou nada menos do que 18 projetos sociais, todos pensados para gerar renda e resgatar a cidadania de pessoas de baixa renda ou excluídas da sociedade. Empreendedora social em série, determinada e cheia de iniciativa, ela mobiliza em torno de suas causas uma multidão de colaboradores, patrocinadores, divulgadores e gente que a ajuda a tirar idéias do papel. Seus projetos têm um grande diferencial: são montados de forma a depender de patrocínio apenas num primeiro momento. Depois, devem sobreviver por conta própria. Sabrina tem só 26 anos e já fez pela sociedade o que muita gente não fará durante toda a vida.

Ainda assim, ela se diz egoísta. Isso porque tudo o que coordena o faz pensando no filho Gabriel, de cinco anos, de quem leva uma foto na carteira e faz questão de mostrar, e nos parentes e amigos mais próximos. Se ela conhece alguém que tem deficiência mental, por exemplo, põe-se a desenvolver um projeto para que a pessoa trabalhe e ganhe seu sustento. Sua motivação é construir um mundo melhor para as pessoas que estão ao seu redor. "Costumo dizer que sou uma egoísta-altruísta", diz. Sim, Sabrina acha que faz o bem com segundos interesses, mas é claro que isso é uma brincadeira que nem de longe tira os méritos dos empreendimentos sociais que conduz.

Tudo começou quando ela tinha 16 anos. Ao perder uma amiga com câncer, mobilizou as pessoas que conhecia para arrecadar fundos para uma organização não-governamental que ajudava portadores da doença. Desde então, não parou mais. Por algum tempo, Sabrina trabalhou captando recursos para ONGs e depois passou a participar da gestão de alguns projetos sociais. Em 2004, aos 23 anos, passou a capacitar líderes de ONGs. Nessa época desenvolveu, com o professor Ismar de Oliveira Soares, o curso prático de comunicação e mobilização de recursos para organizações do terceiro setor na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. "O curso durou até 2006 e foi importante para formar captadores de recursos", afirma Soares.

Ao ensinar a captar recursos para ONGs, Sabrina teve um insight. "Vi que os líderes das ONGs não buscavam a sustentabilidade dos projetos", diz ela. "É importante criar um modelo de gestão que não dependa eternamente de patrocínio para sobreviver. O mercado está saturado e as empresas não têm mais tanto dinheiro para investir". Foi aí que ela fundou o Instituto Vera, uma organização sem fins lucrativos com sede em São Paulo dedicada a fomentar e desenvolver negócios sustentáveis para minorias, além de disseminar metodologias de projetos para outros estados e países.

O objetivo de Sabrina hoje é dar início a empreendimentos sociais que se tornem auto-sustentáveis em pouco tempo. "Treino e preparo as pessoas para assumir o negócio, para que ele possa caminhar sem mim", diz. Segundo ela, o ideal é dar apoio ao projeto por, no máximo, um ano e meio, depois partir para novos desafios.

O empreendimento social Quinteto Maravilha é um exemplo do modelo projetado por Sabrina. O negócio nasceu em fevereiro de 2006 com três massoterapeutas e dois voluntários (por isso o nome de quinteto). O objetivo era inserir massagistas com deficiência visual no mercado de trabalho e garantir que ganhassem rendimentos iguais ou acima dos praticados pelo mercado. Hoje, fazem parte do empreendimento mais de 30 massoterapeutas, todos deficientes visuais. O negócio já caminhava sozinho, com uma clínica na Barra Funda, em São Paulo, mas por infelicidade do destino o local pegou fogo. Sabrina voltou a colocar a mão na massa para garantir a continuidade do projeto. Saiu à cata de um patrocinador e conseguiu a Petrobrás. As massagens, agora gratuitas, acontecem em pleno Parque Trianon, no coração da avenida Paulista, em São Paulo. A renda dos massagistas é paga através do patrocínio e eles ainda engordam os rendimentos prestando serviço dentro de empresas ou atendendo em domicílio.

Segundo Sabrina, no começo do projeto, quando os clientes ainda eram raros, os massoterapeutas ganhavam R$ 40 por dia de trabalho. Hoje, recebem R$ 120, mais alimentação, equipamentos, material descartável, uniforme, custos de comunicação e hospedagem quando participam de eventos fora de São Paulo, curso de inglês e informática.

Foi tocando o projeto Quinteto que Sabrina diz ter aprendido que não dá para deixar o pessoal envolvido num determinado projeto completamente livre, por conta e risco. "As pessoas excluídas pela sociedade têm um perfil assistencialista, porque a maioria dos programas oferece ajuda e ponto", diz. "Elas não entendem logo de cara que aquele empreendimento é delas e que precisam administrá-lo". Sabrina defende a teoria de que é preciso dar dinheiro no começo para impulsionar a idéia, mas também é necessário mostrar às pessoas como elas podem ganhar dinheiro sozinhas. "Não dá para ser assistencialista para sempre."

Pensando assim, Sabrina orientou os massoterapeutas do Quinteto Maravilha no começo, para que eles formassem a consciência de que aquele negócio é deles e que precisam saber administrá-lo. "Ofereci a eles aulas de empreendedorismo e os estimulei a montar uma diretoria entre eles", diz a empreendedora. Ela conta que encontrou resistência no começo. "O trabalho é difícil, mas possível."
Em meados de 2010 decidiu tirar o seu filho mais velho da escola, Gabriel Baum, o qual teve em seu primeiro casamento com Vinícius Thiesen, pois Gabriel era super dotado, e decidiu transformar o mesmo em um personagem, um chef vegano mirim:


















Em 2015 o mesmo já estava dando palestras inspiradoras:


















Em julho de 2013, se acontece o inesperado, durante um dia qualquer Sabrina tem uma amnésia e esquece especificamente os seus últimos 11 anos de vida, um furo tão grande que até o Fantástico relatou:
http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/04/marido-tem-que-reconquistar-mulher-que-perdeu-11-anos-de-memoria.html (http://archive.li/BftnY)

01:08/08:47​

Sabrina tem marido e três filhos. Mas, um dia, acordou e não reconhecia mais a própria família, nem a casa, nem os amigos. Ela tinha esquecido seus últimos 11 anos de vida e teve que empreender uma emocionante jornada de volta.

O nome dela é Sabrina, disso ela nunca se esqueceu. Mas, de repente, outras referências tão íntimas quanto o próprio nome desapareceram da memória dela. A empreendedora responsável por projetos sociais no mundo todo, mãe de três filhos, passou mal em casa e foi dormir.

“Quando acordou, já não era a Sabrina, já tinha ido embora. A Sabrina que tinha voltado era uma Sabrina completamente diferente da pessoa que eu conhecia”, lembra o marido de Sabrina, Rafael Velasco.

“Eu já não sabia onde eu estava, quem era ele, as crianças, a casa, nada”, ela conta.

Foi em julho de 2013. “Eu não sei o que aconteceu no dia, tem que perguntar para ele”, brinca Sabrina.

O espanhol Rafael é o segundo marido da Sabrina. “Até que ele viu que a coisa era grave e chamou uma ambulância”, conta.

Desorientada, Sabrina afirmava para os médicos: estamos em maio de 2002. “Na minha mente, eu estava com 21 anos, eu já tinha voltado 11 anos atrás”, lembra.

Só que em 2002, Sabrina era casada com Vinicius, e o filho mais velho, hoje com 12 anos, tinha três meses de idade. O que aconteceu de 2002 até 2013 foi o que se apagou da memória dela.

“Todas as nossas experiências juntos, ela não se lembrava”, diz o menino.

“Ela chamava o ex-marido dela, que é o pai do ‘bebê’. ‘E o Vinicius? Onde está o Vinicius?’. Eu dizia: ‘filha, o Vinicius não é mais o seu marido’. E ela ficava desesperada: ‘mãe, como assim? Você está querendo me enganar por quê?’”, explica a mãe Doris Campos.

Quando deixou o pronto-socorro, Sabrina achou que voltaria para o endereço de 11 anos antes.

“Minha mãe me levou para a minha casa, e eu falando para ela:’ mãe, eu não moro no oitavo andar, eu moro no sexto. E esse daqui não é o meu prédio’”, lembra Sabina.

Fantástico: Quando ela entrou no apartamento, qual foi a reação dela?

“Ela ficou assustadíssima, e querendo sair e a gente forçando ela a entrar e ela querendo sair. E o pior era ver aquelas criancinhas assim buscando a mãe”, conta a mãe.

Tentando uma resposta, Sabrina e a mãe dela passaram pela emergência de mais três hospitais.

Um deles foi o Hospital das Clínicas de São Paulo. Os exames neurológicos não revelaram nenhum problema físico. No prontuário, o diagnóstico foi transtorno dissociativo de memória. Sabrina foi orientada a tomar remédios e a procurar um psiquiatra.

Adriana Fizman, especialista da Universidade Federal do Rio de Janeiro, explica que a causa desse tipo de amnésia geralmente são traumas que o paciente não enfrentou direito, como se o sofrimento fosse sempre adiado.

“Trauma emocional muito intenso, vividos principalmente nas vidas de infância, adolescência”, ela explica.

De fato, Sabrina conta que seu passado foi marcado por um caso de abuso e por algumas perdas violentas, episódios que ela deixou meio de lado. E que, já adulta, ela dormia muito pouco e trabalhava demais.

“O estresse, a má alimentação, a falta de sono podem desencadear uma doença cardíaca em um, transtorno do pânico no outro. No caso dela, fez com que ela adoecesse dessa forma”, avalia a especialista.

Sabrina começou a usar a medicação prescrita no hospital, mas não se adaptou aos efeitos que os remédios causavam.

“Quando eu tomava a medicação, não me lembrava de nada. E quando passava o efeito, eu começava a lembrar de algumas coisas. E aí eu comecei a anotar em um caderno”, conta.

E começou a abrir uma porta para os 11 anos esquecidos.

Sem a memória dos últimos anos, Sabrina começou a andar muito por São Paulo tentando reconhecer a cidade, os lugares que frequentava, os amigos. E, nessa busca pela identidade, descobriu que algumas coisas a mente dela tinha apagado, mas o coração, não.

Logo nas primeiras semanas de amnésia, Sabrina tinha percebido que o contato com as pessoas mais próximas estimulava a memória afetiva e confiou nelas.

“Fui para o Parque Trianon com a minha mãe e a minha irmã e com um amigo dela, e eu vi as pessoas com tablet tirando fotos. Eu olhava aquilo e falava: ‘como assim? Vocês estão falando que eu estou em 2013, quer dizer que no futuro em vez de as coisas ficarem menores elas ficam maiores? Por que as máquinas fotográficas ficaram desse tamanho?’”, lembra.

E ouviu de um amiga as palavras que a fizeram tentar de vez retomar a própria história: “Você já decidiu ter essas crianças, eles são fato na sua vida. Eles estão vivendo o luto de uma mãe viva. Eles sabem que você não lembra deles, eles precisam de você’. Acho que, na mesma noite, eu liguei para o Rafa e falei: ‘fica tranquilo que eu vou voltar’”, diz.

Foi aí que começou o trabalho pesado. “Percebi que a minha memória voltava quando eu sentia determinados cheiros ou escutava alguma coisas. Vinham imagens na minha cabeça”, relata.

Em uma tentativa de resgatar as memórias, a família da Sabrina organizou um encontro com amigos de várias épocas, da infância, da adolescência, amigos do trabalho, amigos que ela tinha conhecido recentemente. E aí eles foram contando histórias da vida dela para ela.

A ideia era que, misturados às histórias mais antigas, vivas na memória da Sabrina, os 11 anos perdidos voltassem à tona.

Como o crescimento da irmã, de 13 anos.

“Eu estava passando os meus melhores dias da minha vida com ela, ela me levou em eventos, ela estava realizando o meu sonho. E eu vou começar a chorar. E do nada ela esqueceu de mim e eu não podia falar com ela”, lembra a irmã Camila Campos

Sabrina tapou os olhos e abriu bem o olfato e a audição.

“Então, pouco a pouco, eles foram se apresentando a mim, eu segurava nas mãos deles e perguntava, quem sou eu pra você?”, conta Sabrina.

“Ela me cheirou e lembrou do perfume. Foi uma coisa meio estranha, mas a gente já conhece ela. A gente sabia que o processo seria diferente”, brinca Aniele.

“Acabei reconhecendo a grande maioria pelo cheiro e também pela voz”, diz.

“Eu falava para o Rafa: ‘eu estou lembrando de mim grávida das crianças, estou lembrando do nosso casamento’. E eu comecei a chorar muito, fiquei muito emocionada”, conta.

E um dia sentiu que estava de volta. “Minha memória voltou no dia 30 de dezembro, eu já comecei o ano de 2014 em 2014”, comemora.

“Ele teve que fazer eu me apaixonar por ele de novo. Porque eu não aceitava ele de forma alguma”, diz Sabrina.

“Foi fácil, ela é o amor da minha vida. Com muito amor, a gente conseguiu”, brinca o marido.
Um anos depois ela participa do TEDxTalks e relata o caso, e também anuncia que vais instalar um chip tradutor no cérebro para ser a primeira mulher cyborg do mundo.


















Em 2015 Sabrina comenta que pegou câncer linfático, e estava usando a terapia Gerson para se curar, dois anos depois ela disse que estava totalmente curada, porém em meados de Dezembro de 2018 em um vídeo disse que o mesmo teria retornado.

cancer_2015_careca.png

Em 2016, após o caso do estupro coletivo no Rio de Janeiro, Sabrina anuncia o começo de sua cruzada contra guias espirituais e tenta começar um #Metoo brasileiro, relatando um caso que ocorreu em sua infância.

abuso_e-primeira_morte.png

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10209698511443603&set=a.3538345741383&type=3&theater (http://archive.li/FPbxX)

(EM 2016 FIZ ESTE POST SOBRE O ESTUPRO COLETIVO DA MENINA BEATRIZ. EU PROMETI QUE VOLTARIA... DEIXEI AVISADO E NÃO ACREDITARAM. NÃO DUVIDE DE UMA MÃE SOBREVIVENTE. SOMOS IMPARÁVEIS!)

#eusousobrevivente. 19 anos atrás fui violentamente estuprada com tentativa de homicídio, qdo morei em Pernambuco . Eu tinha 16 anos, a mesma idade de Beatriz. Foi um pouco depois desta foto no RJ. Tive sorte! Muita sorte! De não morrer.
Tive sorte! Muita sorte! Que naquela época não existia redes sociais para me julgar. Mas teve jornal publicando q eu havia morrido, só com minhas iniciais...
Tive sorte! Muita "sorte"! De ter nascido branca (pq isso me garante um tipo de atendimento menos ruim q o q meninas negras recebem), privilegiada, que pude ter acesso a todos os medicamentos disponíveis para evitar gravidez e curar as doenças venéreas que contraí.
Tive sorte! Muita sorte! De ter aprendido a desenhar bem e ter sido capaz de fazer um retrato com perfeição daquele monstro, de memorizar a placa da moto, facilitando sua busca e apreensão em menos de 24h.

Mas também tive azar! De passar por 5 delegacias, fazer um exame horrível no IML e ter que contar o crime a homens policiais, delegados, que desconfiaram de mim. Por que? Porque o desgraçado era informante da polícia. Sim, dedurava outros traficantes... e eu estava "atrapalhando" uma operação importante, denunciando o crime.

Também tive o azar, de ser estuprada mentalmente por mais de 30 homens, rapazes, líderes religiosos da religião opressora e extremamente machista que meus pais fazem parte: mórmon. Que em vez de me defenderem, me afundaram numa depressão juvenil com seus julgamentos.

Tive o azar de ter sido atendida por psiquiatras homens que estavam mais interessados em relatos com detalhes dos abusos sexuais que sofri na adolescência e no estupro, do que me ajudar a superar o trauma... Homens brancos, profissionais de "bem".

Eu não ía a bailes funk, eu não usava mini-saia, não andava com traficantes, trabalhava e estudava. Cantava no coral da igreja todos os domingos. Não foi à noite, foi à luz do dia. Eu poderia estar vestindo uma burka e sofreria o estupro do mesmo jeito.
Ainda assim, fui julgada, não era mais considerada "pura" para me "casar com um homem de bem" da igreja... porque o que é que iriam falar, não é mesmo?

Em quase 20 anos já passei por todas as fases de uma sobrevivente de violência, de um crime hediondo: de ter pena do infeliz sendo abusado na cadeia todos os dias, até desejar sua morte nos meus pesadelos. De tentar achar alguma explicação espiritual a pensar que talvez a culpa fosse minha. De silenciar, de sentir vergonha, de fingir que estava tudo bem a mandar tudo à merda e expor mesmo.
De ter pânico ao saber que teria uma filha e chorar por semanas, com medo do que poderia acontecer no futuro com ela.

Agora o que mais me dá raiva, não são "só" os 33 estupradores. São os milhares de pastores, bispos e outros líderes religiosos que continuam pregando com hipocrisia, culpabilizando as mulheres, sendo homofóbicos, medindo o caráter das pessoas pelo comprimento da saia. É ter que assistir uma dor coletiva, me sentir impotente e ver que nada mudou. Mentira. Mudou sim, tá pior.

Porque esta garota e outras milhares que virão nos próximos tempos, sem os privilégios que eu tive, correm o perigo de não ter assistência médica eficiente.

Outros milhões que a julgarão e que julgam diariamente as meninas, moças e mulheres pelas roupas que usam, pela cor do batom, das unhas, pelo tamanho da saia.

Aos hipócritas que me fuderam há 20 anos, um aviso: vocês também vão cair. Cansei de ver que neste tempo vcs não evoluíram e continuam com as mesmas práticas perversas, arruinando famílias. Eu já não sou a garotinha de 16 anos. E não vou poupar ninguém. Sei bem que essa mensagem vai chegar em vocês. E não é uma ameaça, é uma promessa. Por mim e por todas as garotas e mulheres que sofreram na mão de vocês "líderes de Sião". Me aguardem! Podem treinar bem seus representantes de relações públicas, porque eles vão ter bastante trabalho.

Que a nossa raiva seja produtiva! Dar nome aos bois, denunciar, acolher uma mãe que sofre violência doméstica, não aceitar piadinha infame, cobrar de todos os deputados que se posicionem de uma vez a favor das mulheres, de não aceitar que nossos meninos sejam levados para prostíbulo e iniciem suas vidas sexuais aprendendo a tratar mulheres como objeto.

Gatilhos emocionais ativados, revirados, remoídos e vomitados. Só quem passou por isso sabe o que é.

Bora sair da inércia? O que você vai fazer a respeito?

Desejo à Beatriz que possa renascer das cinzas como eu renasci e que quem puder estar próximo da família neste momento, oferecendo qq tipo de ajuda, que o faça.

Às mulheres que sofrem abusos: DENUNCIEM!

(https://revistamarieclaire.globo.com/…/eu-leitora-fui-estup…)

Projeto de advogadas q trabalham gratuitamentehttp://www.sonoticiaboa.com.br/…/tamojuntas-advogadas-aten…/
Apesar de muita repercussão, esta atitude na época não decolou de imediato, relatos pela Sabrina disse que o estuprador morreu na cadeia, e inquérito do caso havia sido arquivado em 2015, porém a sede de vingança de Sabrina mostrou efeitos se demonstrou 2 anos depois com a ONG que fundou chamada COAME (Combate ao Abuso no Meio Espiritual).

Em meados de 2017, durante a confusão do homem pelado no museu que foi tocado por crianças, Sabrina estava em sua fase "artista visual", e durante um evento em que esta nua, foi atacada por um cara com uma faca:

sabrina-com-cicatriz.jpg

Mais tarde fez muitas poesias sobre o ocorrido:

076.jpg0120.jpg0217.jpg0314.jpg0412.jpg0513.jpg0513.jpg0610.jpg

Dezembro de 2018:

Zahira Lieneke Mous vai até conversa com Bial e denuncia o caso que ela teve com o João de Deus:

https://globoplay.globo.com/v/7218667/

Nos bastidores do programa, Sabrina havia entrado com um pedido para entrar na edição do mesmo depois de meses de apuração, mas mesmo assim ainda foi barrada e a explicação dada ao Metrópole foi esta:

“Durante a apuração, que ouviu diversas fontes, inclusive a Sabrina, os repórteres do programa perceberam inconsistência, contradição e inverdades nas informações vindas de Sabrina, considerando-a a partir de então uma fonte não confiável. Por isso, ela não participou do programa.”
João de Deus, que até então tinha 12 denúcias pendentes contra ele antes dessa entrevista, conseguiu alcançar a meta de 300 denúncias após a entrevista e Sabrina ter feito uma aliança do COAME com o projeto Vitimas Unidas de Maria do Carmo de Santos.

A prisão preventiva de João de Deus foi decretada em 14 de Dezembro, após em 12 de Dezembro Sabrina ter relatado a Monica Bergamo em uma coluna avulsa, que uma vítima anônima de João de Deus teria cometido suicídio.


Uma das vítimas de João Teixeira de Faria, o João de Deus, teria cometido suicídio nesta quarta 12. Segundo relato da ativista Sabrina Bittencourt, a mulher ficou fragilizada quando soube que o médium voltaria a atender em seu ‘hospital espiritual’ em Abadiânia (GO).

João de Deus foi ao local na manhã de ontem sob forte comoção de seguidores e assédio da imprensa, mas permaneceu lá por menos de dez minutos. Limitou-se a reafirmar sua inocência e disse estar à disposição da justiça. “Quero cumprir a lei brasileira, eu estou na mão da lei brasileira. O João de Deus ainda está vivo”, declarou. No mesmo dia, o Ministério Público pediu a prisão preventiva do médium de 76 anos.

Responsável por reunir as primeiras denúncias do caso, Sabrina prestava apoio à mulher, chamada Silvia, há três meses. Segundo conta, Silvia jamais teve apoio da família, que era seguidora do médium e não acreditava nas denúncias. “Me ligou sete vezes antes de tudo acontecer”, declarou em vídeo publicado nas redes sociais.

A história veio a público no último sábado 8, quando 12 mulheres relataram ter sido vítimas de crimes sexuais praticados pelo médium. O modus operandi contido no depoimentos é o mesmo: após as sessões, o médium ficava a sós com essas vítimas e as coagia a masturbá-lo ou a fazer sexo oral sob pretexto de “cura espiritual”. Há desde casos da década de 80 até a atualidade.

A página oficial do médium no Facebook está fora do ar desde então. Desde que o caso veio a público, ele utilizava o espaço para compartilhar depoimentos de seguidores — homens e mulheres — que se manifestaram em sua defesa.

Segundo o Ministério Público de Goiás, o número de denúncias passou 258, boa parte delas feita via e-mail. Duas delas são estrangeiras que vivem nos Estados Unidos e na Suíça. As denúncias de brasileiras partiram de dez estados: Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.
Antes disso havia tido um rolo em que as pessoas teriam confundido qie Sabrina seria a tal que haveria cometido o suicídio, mas rapidamente o negou da forma mais xarope possível:


















Sabrina conseguiu fama suficiente que saiu até na capa da revista Carta Capital daquele mês:

Carta-Capital-10351.jpg

Em 3 de Janeiro de 2019, Sabrina faz a mais espetacular denúncia, com direito a áudio com ventania, a qual diz que João de Deus teria traficado crianças (principalmente negras) para outros países em sua fazenda de estupradores, o que alavanca a importância do caso lá em cima na boca da mídia:
























Em 17 de Janeiro, após multiplas recomendações a colega, Felipe Neto teria indicado Sabrina como a melhor pessoa para cuidar de Mc Melody perante o objetivo de uma de suas múltiplas ONGs:

DxJPZLkX0AEibDd.jpg

Aos meados de fim de Janeiro adere a cruzada contra a Damares Alves , por ter oubado crianças indigenas, e por isso se auto-exila do país por estar sendo perseguida de todos os cantos possiveis.

Ao fim de Janeiro para o começo de Fevereiro, a noticia de João de deus começa a circular mundo afora, com quase 2 meses de atraso e com efeito telefone sem fio do jornalismo brasileiro, a notícia acaba atingindo o público alvo errado :

Efeito errado.png

Dia 2 de Fevereiro, Sabrina acusa multiplas pessoas aleatórias no facebook de tentar destruir a vida dela, e reforça sua inimizade com Paulo Pavesi(Ativista que perdeu parte de sua sanidade após sua luta contra o tráfico de orgãos pelo fato de seu filho ter tido seus orgãos roubados por médicos):

ameaça.png

Em 3 de Fevereiro Sabrina Bittencourt deixa uma carta e se mata:

Marielle me uno a ti. Somos semente. Que muitas flores nasçam dessa merda toda que o patriarcado criou há 5 mil anos! Eu fiz o que pude, até onde pude. Meu amor será eterno por todos vocês. Perdão por não aguentar, meus filhos. VOCÊS TERÃO MILHARES DE MÃES NO MUNDO INTEIRO. Minhas irmãs e irmãos na dor e no amor, cuidem deles por mim… ❤ Eu sempre disse que era só uma pequena fagulha. Nada mais. Só pó de estrelas como todos. USEM A SUA PRÓPRIA VOZ. A SUA PRÓPRIA VONTADE. TOMEM AS RÉDEAS DE SUAS PRÓPRIAS VIDAS E ABRAM A BOCA, NÃO TENHAM VERGONHA! ELES É QUEM PRECISAM TER VERGONHA. Não aguento mais. Todas as provas, evidências, sistemas de apoio, redes organizadas e sobretudo, meu legado e passagem por aqui está entregue ou chegará às mãos corretas. As REDES DE APOIO AOS BRASILEIR@S FORAM CRIAD@S E SE EXPANDIRÃO NA VELOCIDADE DA LUZ! Não se desesperem. Dessa vida só levamos o mais bonito e o aprendido. Paulo Pavesi, eu sinceramente sinto muito pela morte do seu filho. Tenha certeza, que se eu soubesse da sua história na época, implicaria minha vida e segurança como fiz com centenas de pessoas. Damares, eu sei que você não teve tratamento psicológico quando deveria e teve sequelas, servindo de marionete neste sistema de merda que te cooptou, acolheu e com o qual você se sente em dívida o resto da sua vida. Não tenho dúvidas que você amou e cuidou da sua “Lulu” como gostaria de ter sido cuidada e protegida na sua infância, mas ela nao é uma bonequinha bonita que você poderia roubar e sair correndo… Giulio Sa Ferrari, eu te considerei um irmão e você sabia de todas as minhas rotas de fuga… eu vi em você a pureza de um menino que nunca foi notado por uma sociedade neurotípica que não entendia os neuroatípicos, mas reputação é algo que se constrói e não é de um dia ao outro. Gabriela Manssur, muito obrigada por me fazer ter esperança de que elas serão ouvidas e atendidas em suas necessidades. João de Deus, Prem Baba, Gê Marques, Ananda Joy, Edir Macedo, Marcos Feliciano, DeRose Pai, DeRose filho, todos os padres, pastores, bispos, budistas, espíritas, hindús, umbandistas, mórmons, batistas, metodistas, judeus, mulçumanos, sufis, taoístas, meus familiares, Marcelo Gayger, Jorge Berenguer, eu desconheço a sua infância e a sua criação pelo mundo, mas sei no meu íntimo que TODO MENINO NASCEU PURO e foi abusado, corrompido, machucado, moldado, castrado, calado, forçado a fazer coisas que não queria, até se converter talvez, cada um à sua maneira, em tiranos manipuladores (em maior ou menor grau) que ao não controlar os próprios impulsos, tentam controlar a quem consideram mais frágil e assim praticam estupros, pedofilia, adicções diversas… Eu sei, eu sinto, eu vi. Mas ainda assim, preferi SEMPRE ficar do lado mais frágil nesta breve existência: mulheres, crianças, idosos, jovens, povos originários, afrodescendentes, refugiados, ciganos, imigrantes, migrantes, pessoas com deficiência, gays, pobres, lascados, fudidos, rebeldes e incompreendidos… Essa vida é uma ilusão e um jogo de arquétipos do bem e do mal, de dualidades… desde que o mundo é mundo. Vivo num outro tempo desde que nasci e sempre senti que vivia num mundo praticamente medieval. Volto pro vazio e deixo minha essência em PAZ. Aos meus amigos, amadas e amantes, nos encontraremos um dia! Sintam meu amor incondicional através do tempo e do espaço. SIM e FIM.


Depois da morte, alguma coisas estranhas começaram a ocorrer:

https://revistamarieclaire.globo.com/Noticias/noticia/2019/02/sabrina-bittencourt-mulher-que-ajudou-desmascarar-joao-de-deus-comete-suicidio.html (http://archive.li/zLNk3)

Primeiro foi o local da morte de Sabrina, em que o filho mais velho Super Dotado (Gabriel Baum) disse que ela morreu no Líbano, mas a lider do grupo Vitimas Unidas (Maria do Carmo dos Santos) tinha dito que ela teria morrido em Barcelona:

"O grupo Vítimas Unidas comunica com pesar o falecimento de Sabrina de Campos Bittencourt, ocorrido por volta das 21h deste sábado, 02 de fevereiro, na cidade de Barcelona, na Espanha, onde vivia. A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida. Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil. Dois dos três filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protegê-los. A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo. Agradeço o apoio de todos", diz a nota divulgada por Maria do Carmo Santos.
O grupo Vítimas Unidas havia informado que Sabrina morreu em Barcelona, mas seu filho, Gabriel Baum informou mais tarde no domingo (03), por meio de seu perfil no Facebook, que a mãe morreu no Líbano. "Nos despedimos em Paris, ela viajou para Barcelona por uns dias para criar a Rede de Proteção para Brasileiros do Exílio e voltou para o Líbano com a namorada dela. Era um dos países que ela amava! Minha mãe pediu para ser enterrada debaixo de sua oliveira onde ela tinha paz para escrever seus livros junto com os desenhos que eu, meus irmãos e um monte de crianças dos países que ela passava fizemos pra ela e as cartas de amor que recebeu durante a vida. Esse era o tesouro dela. As boas palavras e intenções das pessoas! Minha mãe foi livre e deixaremos ela livre até o final."
As únicas que tiveram acesso ao corpo de Sabrina Bittencourt, foram o segundo ex-marido (Rafael Velasco), o filho Gabriel Baum e uma namorada anônima de Sabrina, Gabriel e Rafael insistiram em não lançar qualquer documento e prova da morte de Sabrina, pois não queria satisfazer nenhum governo .

Rafael Bueno, ex-marido de Sabrina, confirmou nesta terça-feira (5) que a ativista está morta. Segundo ele, o enterro estava programado para o dia 7, mas será adiado para o dia 10 de fevereiro em uma localidade não revelada no Líbano.

“Ninguém terá o corpo de Sabrina como troféu. Nenhum homem desconhecido verá e tocará seu corpo sem seu consentimento. Por favor, respeitem nossa dor e deixem nossa família em paz”, pediu o engenheiro de informática.

Questionado sobre a hipótese de Sabrina Bittencourt ter recebido asilo político e assumido uma nova identidadade em outro país, e, na verdade, ter “suicidado” sua biografia pregressa para começar uma nova vida, Bueno disse que seria “ótimo que ela tivesse tido tempo para isso”.
Baum disse que a morte ocorreu no jardim de uma casa no Líbano, para onde Sabrina costumava viajar – e não em Barcelona, na Espanha, como fora divulgado –, e que a família não autorizará a confirmação de morte a nenhuma autoridade.

“Nenhuma polícia, governo ou hospital atestará a morte de minha mãe”, afirmou. Segundo ele, o velório aconteceria “em dois ou três dias”, a depender do tempo para o embalsamento do corpo a partir de uma “técnica ancestral”.
E por fim Sabrina teve a honra de ter tido como o seu último contato o maior imbecil da internet brasileira antes de se matar:

https://claudia.abril.com.br/noticias/felipe-neto-falou-com-sabrina-bittencourt-antes-de-suicidio/(http://archive.li/IIBNI)

O youtuber Felipe Neto afirma ter falado com Sabrina Bittencourt, ativista que ajudou a denunciar João de Deus, pouco antes da morte dela. Em seu perfil no Instagram, ele descreve sua relação com Sabrina e lamenta não ter conseguido ajudá-la.

“Ontem, após uma de suas testemunhas protegidas ter o abrigo invadido em Londres por matadores de aluguel, Sabrina me ligou aos prantos, sem saber mais o que fazer. Ela só queria ajudar, mas o mal guiado por milicianos, políticos no poder nesse momento e líderes religiosos poderosos, conseguiu vencer”, escreveu.

Sabrina tinha 38 anos e vivia em Barcelona, na Espanha. Ela cometeu suicídio na noite de sábado (2). Ativista dos direitos das mulheres e das minorias, ela mesma foi vítima de abuso sexual quando criança em uma comunidade mórmon, doutrina que sua família seguia.

“Minha dor está imensa. O sentimento de impotência e não ter conseguido salvar sua vida é indescritível. A única coisa que me consola é que Sabrina não morreu de verdade, porque o que ela fez em vida perdurará para sempre. Vá em paz, Sabrina, encontre aquilo que você nunca teve nesta Terra: tranquilidade. Você merece”, finalizou.

Leia o post de Felipe na íntegra:

“A maior ativista do Brasil, Sabrina Bittencourt me ligou ontem aos prantos por não aguentar mais a dor e a pressão das ameaças de assassinos q a perseguiam pelo mundo. Ela denunciou o esquema do João de Deus e o colocou na cadeia. Denunciou e acabou com Prem Baba. Passou 20 anos trabalhando para ajudar jovens e mulheres vítimas de abusos pelo mundo. Ontem, após uma de suas testemunhas protegidas ter o abrigo invadido em Londres por matadores de aluguel, Sabrina me ligou aos prantos, sem saber mais o que fazer. Ela só queria ajudar, mas o mal guiado por milicianos, políticos no poder nesse momento e líderes religiosos poderosos, conseguiu vencer.

Tentei o que pude, mas Sabrina não aguentava mais a luta. Ela mudava de país clandestinamente toda semana para fugir dos que a queriam morta. Há uma semana, um sujeito começou uma campanha para destruir a reputação de Sabrina, alegando que seria viciada em drogas e esquizofrênica e por isso nenhuma de suas denúncias deveria ser levada a sério. Seus filhos tinham que fugir constantemente de matadores. A invasão da casa de uma de suas protegidas, as ameaças constantes e a pressão de não ter mais vida além de fugir e denunciar fez com que ela me ligasse. E infelizmente não fui capaz de impedir.

Sabrina ontem tirou a própria vida. O que ela deixou não foi apenas um legado de uma luta contra líderes religiosos abusadores e chefes de quadrilhas de assassinatos, tráfico de crianças e sequestros. Ela tb deixou todas as pistas, testemunhas e cartas nas mãos da justiça. Eu não posso detalhar, não posso ter esses indivíduos atrás de mim, não sou forte como a Sabrina, mas peço, do fundo do coração, q vocês procurem saber quem foi Sabrina Bittencourt, quem ela botou atrás das grades e quem ela estava denunciando antes de morrer. São pessoas poderosas, que hj estão no controle e que conseguiram silenciar a nossa heroína.

Minha dor está imensa. O sentimento de impotência e não ter conseguido salvar sua vida é indescritível. A única coisa que me consola é que Sabrina não morreu de verdade, pq o que ela fez em vida perdurará para sempre. Vá em paz, Sabrina, encontre aquilo que você nunca teve nesta Terra: tranquilidade. Você merece.”
Após estes eventos, Rafael e alguns membros da família de Sabrina deletam suas mídias sociais, e o único que poderá carregar o legado de Sabrina será o filho super dotado de 16 anos, Gabriel Baum.

Desde então Gabriel continou a cruzada de sua mãe contra os guias espirituais e Paulo Pavesi:
Biel Baum vs Pavesi.png

Alguém havia tentado contatar o Itamaraty sobre o paradeiro do corpo mas sem muito sucesso:
print-conversa-2-original.jpgprint-conversa-2.jpgWhatsApp-Image-2019-04-07-at-23.55.03.jpeg

Paulo Pavesi recentemente contatou o pai de Gabriel e o mesmo em um audio de 10 minutos havia dito que a saída de Gabriel do Brasil envolveram pessoas de calibre muito estranho que eram contatos de Sabrina, a saída de Gabriel era pelo bem dele e para deixá-lo salvo das garras das pessoas que estavam perseguindo Sabrina, após a morte de Sabrina o pai de Gabriel contatou o seu filho e o mesmo tinha dito que a conta do banco de Sabrina esta operável e podia mandar dinheiro para ele por lá, o que levantou algumas suspeitas.

Gabriel também tentou lutar contra as exposições contra o legado de sua mãe, falando de jornalista corruptos envolvidos com o governo:

Metropoles 1.pngMetropoles 2.pngMetropole 3.png



Em 18 de Maio, Gabriel finalmente explode com um jornalista e posta um textão e imagens comprometedoras onde está sendo assediado:



https://www.facebook.com/gabrielbaum.2002/posts/2368105633401738 (http://archive.li/stVQx)



Eu dei uma entrevista exclusiva pra Época no meio do pior momento da minha vida! Porque o cara veio de mansinho e eu no desespero confiei, pq minha mãe trabalhou com outras duas jornalistas de lá. Eu falei mesmo que não entregaria o corpo da minha mãe pra nenhum governo corrupto do mundo! ASSUMO CADA LETRA do que eu disse e era meu desejo. Enquanto eu viajava pro Líbano com os meus irmãos, a nossa equipe assumiu o meu messenger e COMUNICOU que o MEU PADRASTO informou a autoridades brasileiras de confiança dele que sabem que não são fascistas e que não estão envolvidos com crimes da Damares, família Bolsonaro, milicianos, João do Capeta. E não só isso, o Rafa avisou as autoridades dos países que protegem a nossa família e mandou as provas pros caras. NINGUÉM PUBLICOU ISSO.

Se aproveitaram de um momento de vulnerabilidade dois dias da morte da minha mãe: do Rafa medicado, da Vana medicada, das vítimas desesperadas, da Maria do Carmo Santos ter errado onde minha mãe estava qdo minha mãe morreu e que ela se corrigiu pq ela deduziu q minha mãe estava em Barcelona. Jornalistas tiveram acesso aos prints onde o Rafa, meu padrasto comunicava pra autoridades brasileiras.
Inclusive um deles de um consulado brasileiro, mas que o cara não quis falar com a imprensa pra não mostrar que era "ativista" dentro de um consulado tomado por novos diplomatas fascistas. AS PESSOAS ESTÃO COM MEDO e ok

DOS RATOS EU QUERO DISTÂNCIA. Depois fui assediado por este mesmo jornalista a "dizer a verdade porque era melhor pra mim e que ele poderia garantir um espaço "seguro"" e o cara fazia parte do grupo dos inimigos da minha mãe pra "olhar o que os caras dizem". Aham. Desculpem amiguinhos. Eu dei a chance do cara falar a verdade pra mim. Se ele decidiu sozinho publicar sem a informação inteira ou se teve chefes cúmplices. Ele resolveu me chamar de surtado, que ía falar com o jurídico da empresa e me bloqueou. Agora?? Depois de 3 meses me assediando?

Levei muita facada nas costas em 3 meses! Quem tem que mudar de cidade toda semana sou eu, não vocês. Quem não pode voltar pra Espanha sou eu, não vocês. Eu estou há 3 meses comunicando CRIMES HEDIONDOS COMETIDOS CONTRA MULHER TRAFICADA NEGRA, POBRE E ASILADA e vocês querem que eu fabrique o corpo da minha mãe pra dizer que ela tá viva e ver quem ganha a aposta!
Cara, até aposta entre jornalistas está rolando pra ver quem me "encontra" ou quem me faz falar o que eles querem ouvir. Tem produtora do BIAL que está inventando que minha mãe foi vetada no programa do Bial e na GLOBO e semana passada mesmo, o Rafa estava conseguindo uma vítima do João pra falar de última hora pra sair reportagem no jornal Nacional.

QUEM NÃO FOI ÉTICO COMIGO, com a memória da minha mãe, seja pra ser o fodão com a sua merda de exclusiva às custas da dor da minha família, vai passar vergonha. Sempre dou chance pras pessoas pedirem desculpas e corrigirem seus erros. Aprendi isso com a minha mãe. Mas acabou minha paciência. Vocês julgam demais os bolsominions e fanáticos. Mas de boa, tem gente de "esquerda" e harebôs, das "minorias" que é bem mais traíra e tô aprendendo isso a cada dia. Pelo menos os inimigos da minha família de ultradireita e fanáticos, são burros previsíveis e falam na cara. Paulo Pavesi é um merda, um escroto, mas pelo menos fala o que pensa. É um criminoso que fala o que pensa. FAÇAM PRINT dessa publicação e mandem pro "jurídico" da Globo. Façam isso mesmo. Eu quero mais é que eles me procurem pra eu mostrar toda a merda que está por trás do inferno que tô vivendo agora. Tem gente boa e ruim em todos os lugares. Em igrejas, na política, nas famílias, nas escolas, e ui ui ui também na Globo. João do Capeta era amigo de muuuuita gente importante lá que enrolou 1 mês pra "aprovar" o boom do programa do Bial. Minha mãe foi a pessoa que mais ajudou os caras. Ninguém pode mudar isso. Tenho declarações das vítimas. Prints, tudo.

Só aviso uma coisa coleguinhas jornalistas ratos: os que sabiam da narrativa que vão criar sobre minha mãe, que ela cometeu um crime que não cometeu e não fizeram nada, foram omissos e quiseram ver o circo pegar fogo, serão expostos. Eu não sou o "iluminado" porra nenhuma. Estão fudendo com a minha vida e dos meus irmãos e eu vou me defender. Não estou sozinho. SOU FILHO DE SABRINA BITTENCOURT. ESPALHEM E TIREM PRINT GALERA. ATÉ DENUNCIAREM E APAGAREM MEU POST. NÃO VOU ME CALAR. TER TODAS AS PROVAS É O QUE ME MANTÉM VIVO MESMO QDO EU ACHO QUE O MELHOR É SUMIR DESSE MUNDO COMO ELA FEZ.

Ninguém tem o direito de me assediar, pressionar, manipular, inventar histórias sobre a minha mãe pra coleguinhas, ser o fofinho com criminosos e achar que eu vou deixar por isso mesmo. VEM 18 ANOS VEM LOGO! Tem muita merda nos bastidores q vcs não tem nem ideia. Traficante aliciadora de mulheres de Goiás indo em festinhas de uma certa emissora... Estamos de olho e SOMOS IMPARÁVEIS.

#SabrinaPresente
#SomosImparaveis
#COAME
60352094_2368090426736592_3610175511302504448_n.jpg60182361_2368090433403258_8160676937459564544_n.jpg60457707_2368090483403253_7501711967933956096_n.jpg60636447_2368090440069924_4841063909420957696_n.jpg60848665_2368090490069919_7263981224543125504_n.jpg60871769_2368090476736587_6788497781888647168_n.jpg

Em pleno 19 de Maio o surto de Gabriel Baum continua, e cada vez mais o que ele diz fica completamente ilegível

Jornalista LGBTs 1.pngJornalista LGBTs 2.png

Só tempo dirá se Gabriel conseguirá por muito tempo manter o interesse de restaurar o legado caindo aos pedaços de sua falecida mãe.

Mídia Social :

Sabrina Bittencourt:

Facebook da falecida: https://www.facebook.com/sabittencourt (http://archive.li/SImQK)

Facebook do Grupo: https://www.facebook.com/sapetit.24 (http://archive.li/VnnxK)

Site Jovenes Transformadores: http://www.jovenestransformadores.com/ (http://archive.li/R18hx)

Site COAME: http://coamebr.tk/?fbclid=IwAR0EPQeWM299PvJ7ZDzAysG3ecEk1j8RxrISwKqvVH584TM7G-eXlXXe4O4 (http://archive.li/wzrUX)

Gabriel Baum:

Facebook: https://www.facebook.com/gabrielbaum.2002 (http://archive.li/Zy4d5)

Site vegano: https://www.veggathome.com/?fbclid=IwAR2wmrQ7VZuixIKtToC0WO-MrEwZa58CIhqF5STMh8NWcamEYFbqR_RQXqw#a-cozinha (http://archive.li/xB6VE)

Site pessoal: http://www.gabrielbaum.com/?fbclid=IwAR0DZKW9fF2PvNXVp_aeS2UVkhXwD2xPtGCodCw86N3XU9O124PwzT9FYPo (http://archive.li/oX5LK)
 
Last edited:

the seeker

Abre o fole Tio Bilia
kiwifarms.net
Excelente post OP, muito bem pesquisado como sempre! Sou seu fã
Eu conhecia algumas notícias, mas não imaginava que fosse a mesma pessoa.
Esse suicídio é muito estranho, já que nenhum terceiro teve acesso ao presunto. Deixarei meus cães farejadores trabalhando nesse caso.
 

Sparky Lurker

kiwifarms.net
Parece que los muchachos van a actuar:
Muchachos.png

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2370149976530637&set=a.1523334591212184&type=3&theater (http://archive.li/qPfCy)
Giulio Sa Ferrari é outro caçador de guias espirituais que foi estuprado na infância, parece que tinha algumas relações com Sabrina, contando também com as lorotas de Giulio, dá uma aparência de sujo falando do mal lavado:
https://www.facebook.com/giuliosaferrari (http://archive.li/i3EcC)
O cara ainda tem bigode de vilão da novela das 6:
766955
 
Last edited:
  • Winner
Reactions: edibleBulimia

edibleBulimia

Live young, die fast
kiwifarms.net
Me lembro de quando essa notícia do João de Deus explodiu. Mas é esquisito que a família não queira se pronunciar, e além disso aparentemente nenhuma “autoridade” confirmou ainda a morte.
Engraçado que duas Bittencourt morreram esse ano, também: ela e a Carolina Bittencourt, aquela modelo.
 

Sparky Lurker

kiwifarms.net
Me lembro de quando essa notícia do João de Deus explodiu. Mas é esquisito que a família não queira se pronunciar, e além disso aparentemente nenhuma “autoridade” confirmou ainda a morte.
Engraçado que duas Bittencourt morreram esse ano, também: ela e a Carolina Bittencourt, aquela modelo.
Bittencourt da Sabrina era nome "artístico" para se afastar do nome de casamento do primeiro ex-marido, o da Caroline era real.

Update 23/05:
A irmã entrou no espetáculo:
Destaque no QI de 160 que deixou muitas pessoas com inveja, e na naturalidade que ela lê o script no final.
Melhor parte é que meteu um ex-namorado na história do ataque em que Sabrina estava nua e comecei a sentir pena do Rafael que fica betando o legado dela após a morte.
 
Last edited:
  • Informative
Reactions: edibleBulimia

Sparky Lurker

kiwifarms.net
Aqui temos uns prints do Gabriel se debatendo com o Pavesi no facebook recentemente:
Pavesi vs Gabriel 1.jpgPavesi vs Gabriel 2.jpgPavesi vs Gabriel 3.jpg
Parece um duelo para ver quem conta a fanfic mais mirabolante.
Edit: A fanfic que está em debate da professora que teve a porta arrombada, perdeu os documentos e desapareceu:
Recebi este áudio da professora asilada em Londres, Ismênia Soares, há alguns meses. Ela está desaparecida desde o dia 14.06.2019. Digo desaparecida, porque nem a polícia sabe onde ela está, não está dormindo na casa das outras mulheres asiladas, não responde telefonemas ou e-mails e a última comunicação que recebi do celular dela me dizia em inglês "You will not have her" com risadas (o que seria "você não a terá mais"). Estou colaborando com as autoridades do Brasil e da Inglaterra com todas as informações que eu tenho para que a encontrem. Ela teve sua carteira furtada dia 04.06.2019, denunciou na polícia, pediu ajuda para o Home Office (depto. responsável por asilados) e coincidentemente dia 05.06.2019 o Sr. Paulo Airton Pavesi, gravou um video falando sobre ela e mentindo sobre o assunto do arrombamento de sua porta no início do ano. A professora Ismênia deixou registrado e denunciado este homem que vem perseguindo, difamando, caluniando, injuriando e incitando ao ódio contra ela, minha família e as ativistas que colaboram conosco como a Dra. Maria do Carmo Santos e Sra. Vana Lopes, líderes e fundadoras do Grupo Vítimas Unidas, além das autoridades do MP-GO e MP-SP que estão trabalhando no caso João Teixeira de Abadiânia. A professora Ismênia denunciou a milícia de Anápolis há anos, que trabalha para João Teixeira do Inferno. Obrigado por entender a situação e espero que logo justiça seja feita e a professora Ismênia seja encontrada. Gabriel Baum - ativista social do movimento COAME - Combate ao Abuso no Meio Espiritual coamebr.tk
Perceba a calma e a tranquilidade na voz de alguém que está abalada, fragilizada e correndo risco de vida:
https://soundcloud.com/gabriel-baum-13479885%2Fpedido-de-ajuda-professora-asilada
 
Last edited:

thnsx

kiwifarms.net
Tem base isso Sparky? kkkkk bixa bielzinho na Itália pensa q é Rocky.
















10e685ed-fa5a-4550-a5bf-2d132256dfad.gif



Aqui no baculejo Sabrina é catilanga e os papamyke tem uns vídeo massa da morta chupando pau
 

Dork Of Ages

Sopa de Macaco
kiwifarms.net
Thread bem escrito, @Sparky Lurker!

Dá pra ver logo de cara a diferença entre a Sabrina antes do suposto episódio de amnésia e depois. Antes, fazia trabalho social interessante, parecia ter uma vida bem definida e positiva (mas também tem as politicagens como o casamento "sustentável", mas nada que seria autistico). Aí depois da amnésia, ela começou a agir como justiceira social, entrando em encrenca com qualquer zé mané, virar cyborg, fazendo amiguinhos com o Felipe Neto. Eu não li muito sobre o caso do João de Deus, mas certamente não lembro de ver o nome dela nas notícias (pelo menos não em merda qualquer como Carta Capital), então não sei qual foi a sua real participação em desmascarar o João. E parece que passou esse drama todo para o filho (que escreve como um SJW louco baseado nas últimas screenshots).

Triste saber sobre o suícidio. É bem óbvio que por trás de toda a imagem e do trabalho que a Sabrina colocava e fazia, ela precisava de melhor tratamento do que ela já teve (se for verdade sobre o autismo dos terapistas homens que queria relato de abuso sexual para ter material de fetiche). Mas porra, como saber se ela tá morta mesmo? Como faz a passagem de bens dela aqui no Brasil com essa merdinha de não confirmar para as autoridades? Tem algum direitofag aqui que explica?

E ficar fazendo nota de suícidio com a Marielle. Porra, o que a Sabrina teve a ver com a Marielle? Nota que ela quase não menciona a família direito, mas fica mencionando um bando de pessoa nada a ver com os problemas dela.

EDIT: Esqueci de ver quando a thread foi criada, então se alguém puder postar atualização do caso que responde as minhas perguntas, agradeceria.
 
Last edited:
  • Agree
Reactions: AsianChris

ElAbominacion

Somewhere in the Swamps south of the Mexico border
kiwifarms.net
Thread bem escrito, @Sparky Lurker!

Dá pra ver logo de cara a diferença entre a Sabrina antes do suposto episódio de amnésia e depois. Antes, fazia trabalho social interessante, parecia ter uma vida bem definida e positiva (mas também tem as politicagens como o casamento "sustentável", mas nada que seria autistico). Aí depois da amnésia, ela começou a agir como justiceira social, entrando em encrenca com qualquer zé mané, virar cyborg, fazendo amiguinhos com o Felipe Neto. Eu não li muito sobre o caso do João de Deus, mas certamente não lembro de ver o nome dela nas notícias (pelo menos não em merda qualquer como Carta Capital), então não sei qual foi a sua real participação em desmascarar o João. E parece que passou esse drama todo para o filho (que escreve como um SJW louco baseado nas últimas screenshots).

Triste saber sobre o suícidio. É bem óbvio que por trás de toda a imagem e do trabalho que a Sabrina colocava e fazia, ela precisava de melhor tratamento do que ela já teve (se for verdade sobre o autismo dos terapistas homens que queria relato de abuso sexual para ter material de fetiche). Mas porra, como saber se ela tá morta mesmo? Como faz a passagem de bens dela aqui no Brasil com essa merdinha de não confirmar para as autoridades? Tem algum direitofag aqui que explica?

E ficar fazendo nota de suícidio com a Marielle. Porra, o que a Sabrina teve a ver com a Marielle? Nota que ela quase não menciona a família direito, mas fica mencionando um bando de pessoa nada a ver com os problemas dela.

EDIT: Esqueci de ver quando a thread foi criada, então se alguém puder postar atualização do caso que responde as minhas perguntas, agradeceria.
É necessário atestado de óbito para poder realizar inventário. A única exceção é nos casos de ausência e mesmo assim, a ausência só é declarada depois de dois anos. Para ter sucessão provisória, são necessários 3 anos depois da decretação da ausência (não lembro de cabeça, vou ver isso amanhã). Para sucessão permanente, são 10 anos.

Não é possível realizar o procedimento de sucessão sem que haja ausência, morte presumida ou a averbação do atestado de óbito, para deixar claro. Ela realmente se matou, se tem um processo de inventário judicial ou extrajudicial rolando.
:informative:
 
Tags
None

About Us

The Kiwi Farms is about eccentric individuals and communities on the Internet. We call them lolcows because they can be milked for amusement or laughs. Our community is bizarrely diverse and spectators are encouraged to join the discussion.

We do not place intrusive ads, host malware, sell data, or run crypto miners with your browser. If you experience these things, you have a virus. If your malware system says otherwise, it is faulty.

Supporting the Forum

How to Help

The Kiwi Farms is constantly attacked by insane people and very expensive to run. It would not be here without community support.

BTC: 1DgS5RfHw7xA82Yxa5BtgZL65ngwSk6bmm
ETH: 0xc1071c60Ae27C8CC3c834E11289205f8F9C78CA5
BAT: 0xc1071c60Ae27C8CC3c834E11289205f8F9C78CA5
LTC: LSZsFCLUreXAZ9oyc9JRUiRwbhkLCsFi4q
XMR: 438fUMciiahbYemDyww6afT1atgqK3tSTX25SEmYknpmenTR6wvXDMeco1ThX2E8gBQgm9eKd1KAtEQvKzNMFrmjJJpiino